Palavra de Psicólogo – Timidez e Introversão

0
1.153 visitas

Olá Quiçabidinhos! É mais uma vez um grande prazer estar com vocês. Vamos falar um pouquinho sobre a timidez, um dos grandes vilões do relacionamento amoroso. Há muito a ser discutido, começaremos com alguns esclarecimentos teóricos. Geralmente há uma grande confusão em torno das definições de timidez(inibição)/desinibição e introversão/extroversão. O erro mais comum diz respeito à noção de que o indivíduo que não é tímido é um extrovertido. Pode ser e pode não ser… vamos tentar esclarecer o assunto e mostrar o quanto é importante tal consciência.

A timidez não é sinônimo de introversão. Enquanto que a timidez é uma dificuldade “aprendida”, que impede a pessoa de relacionar-se de maneira mais proveitosa com o meio externo, a introversão pode ser definida como uma “preferência” por atividades solitárias. O verdadeiro oposto da timidez é a desinibição, e a extroversão seria por tabela uma preferência por atividades envolvendo o grupo.

Assim sendo, poderíamos encontrar facilmente tímidos-extrovertidos, que sentem dificuldades no convívio social mas buscam tais contatos incessantemente. Os tímidos-introvertidos, por sua vez, apresentam dificuldades mas sofrem menos, uma vez que nutrem uma preferência por atividades mais isoladas, como a leitura, a meditação, o aconchego do lar em lugar de grandes aglomerações. Outras combinações também são perfeitamente possíveis, como os desinibidos-introvertidos e os desinibidos-extrovertidos (estes sim, os verdadeiros “arroz-de-festa” :-).

Pesquisas demonstram que aproximadamente 60% dos tímidos são introvertidos, enquanto que 40% deles preferem a interação constante com as pessoas. Este alto índice de tímidos-introvertidos também pode estar relacionado à própria dificuldade imposta pela timidez, e é muito comum que à medida que o tratamento apresenta resultados tal introversão passe a ceder o seu lugar por um gosto cada dia maior pelo social.

Ao fim desta salada de conceitos, fica a dica: procure realizar uma auto-avaliação com o objetivo de conhecer-se melhor, e descobrir o quanto a sua solidão está relacionada à timidez ou até mesmo a um inato traço de introversão. Perceba também que a vitória sobre a timidez exigirá um pouco mais de interação social, por menos que ela o agrade. Caso seja um tímido-extrovertido, procure aproveitar-se do gosto pelas atividades em grupo para treinar aos pouquinhos a exposição de suas idéias e sentimentos, além de habilidades mais específicas como a conversação e a paquera (a internet é um ótimo local para o treinamento de tais habilidades!). Mas lembre-se: sempre aos pouquinhos, sem arriscar-se em demasia. Pequenos sucessos construirão uma base sólida para sua auto-estima, e as conquistas tornar-se-ão cada vez mais comuns em sua vida pessoal e profissional. Bom trabalho a todos os tímidos de plantão!!!



  1. Dr. Sergio, adoro seu trabalho, leio sempre as respostas para os quiçabidinhos, que já me esclareceram muitas dúvidas, mas gostaria que você me ajudasse também com esse problema que me atormenta: Um amigo meu da escola arrumou uma namorada pela internet. Eu a conheci pessoalmente e depois comecei a conversar com ela pela internet também. Ela sempre vinha me contar os problemas que tinha com ele e um dia me disse que ia se separar. Eu sentia uma certa atração por ela, mas nunca dei em cima em respeito a meu amigo. Na mesma semana que ela se separou marcamos de sair (tudo pela internet), mas os horários não eram compatíveis, na semana seguinte ela me cobrou o cinema que eu tinha prometido, novamente não foi possível sair porque eu tive que viajar. Essa semana nos encontramos na internet novamente, mas ela quase não me deu atenção. Em uma semana ela me cobra de ir ao cinema e na semana seguinte já mostra desinteresse, por que? Perdeu o interesse po r ! mim em uma semana? Devo insistir ou devo abandonar? O que faço? Obrigado. Um abraço.
  2. Caro Dr. Sergio, conheci uma pessoa na net que está morando no USA. Nos falamos todos os dias e nos vimos através de uma câmera, uma vez por semana nos falamos por telefone, quando ele não me liga eu ligo para ele. Só que está cada vez mais freqüente nossas conversas e agora ele me pediu para que eu vá passar minhas férias em no Estados Unidos e se tudo der certo combinamos de eu ir definitivamente morar com ele no fim do ano que vem… mas o meu medo é que tudo parece um sonho e tenho medo que a realidade seja completamente diferente do que imagino, pois já tive outras experiências na net com outras pessoas e sei que as vezes criamos certas “fantasias” e quando chega a hora do encontro sofremos certas desilusões. Sei que para dar certo ou não, só vivendo o momento para saber, mas o meu medo maior é sair daqui de SP e ir para um lugar em que praticamente não conheço ninguém e nem sequer o inglês básico eu tenho. Gostaria de contar com sua ajuda, o! que devo fazer? Um Abraço!

Dr. Sergio André Segundo

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar!
Digite seu nome!