Filosofia – Armadilha das Criticas


edward

A Armadilha das Críticas

.

Uma das atitudes mais comuns da humanidade, a crítica oculta sempre a premissa,

por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra

levará ao melhor resultado.

Os que se acham perfeitos estariam no direito de criticar tudo aquilo que não está

em consonância com o seu modelo de mundo real.

Há, porém, os que buscam a perfeição de maneira saudável, sem o perfeccionismo

obsessivo. Estes são conscientes de si mesmos e de suas limitações, aprendem com suas imperfeições, aceitam e apreciam a orientação de outras pessoas.

Existe, porém, o problema sobre a compreensão do que é ser crítico. Por outras palavras, há muita arbitrariedade no uso da palavra crítica, desde o julgamento popular de uma “situação crítica” até a conceituação originada na filosofia de: “espírito crítico”, “pensamento crítico”, etc. Existe uma associação indevida entre crítica com o ato de apontar defeitos. Existem aqueles cujo estilo vulgar de ser crítico levam os ingênuos a reproduzirem o seu modo estereotipado de opinar sobre as coisas sem pensar autocriticamente. Esse processo de pseudo-crítico chama-se doutrinação.. A educação pode tanto ser direcionada para a doutrinação como para a libertação. Só uma educação voltada para a formação do pensamento crítico pode contribuir para a libertação e autonomia do sujeito.

Bom senso, ética-moral, elegância no dizer, ter coragem de fazer autocrítica, devem ser imprescindíveis ao crítico. O bom senso orienta que, antes de atirarmos

a ‘primeira pedra crítica’, devemos nos colocar no lugar do criticado.

.

Criticar uma obra de arte, uma teoria, os políticos, as atitudes das pessoas, no fundo, consiste tão somente em apontar defeitos ou é imprescindível ao crítico investir numa argumentação consistente, fala respeitosa e polida?

.

Comente.

.

..

22 set (2 dias atrás)

deb

a incapacidade de receber criticas nao seria sintoma do mesmo mal?

22 set (2 dias atrás)

Moabe

eu li,e achei q tem sentido

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

1º-

sem ironias…

posso Opinar aqui… ???

.

22 set (2 dias atrás)

atlantis

A crítica é fundamental para o crescimento, seja qual for o setor ou ação, mas quando é criteriosa.

O problema é que a crítica ocupa muitas vezes o espaço de “mezinhas”. Esconde-se atrás do aborrecimento por determinada informação, ou pela inveja de um sucesso qualquer, ou simplesmente assume uma faceta destruidora, para não ofender o brio de pessoas com limitações.

22 set (2 dias atrás)

Miranda

Bem

Uma crítica que oculta “por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra levará ao melhor resultado” não é crítica. Simples assim…

A crítica tem como fundamento justamente descer desconstrutivamente ao fundamento daquilo que está sendo criticado, correndo todos os riscos de confirmá-lo se os fundamentos se valerem.

A crítica é o único instrumento de transformação, tanto do mundo quanto de si mesmo. Criticar é procurar respostas dentro daquilo em que se critica, e quando não se encontra acaba por confirmar a possibilidades de outras visões.

O criticado devia aproveitar e fazer uma auto-crítica… Mas é óbvio que tem críticas e críticas. Elencar causas que não se relacione com aquilo que está sendo criticado é apenas vandalismo intelectual, inócuo e vazio…

De qualquer forma é preferível mil vezes uma crítica direta, mesmo que leviana e irresponsável, do que subterfúgios covardes que minam a credibilidade alheia sem enfrentamento dos pontos discordantes…

Isso sim é anti-crítica e própria do dogmatismo que se acha absoluto. Exaltemos a crítica epistemologicamente virtuosa.

Miranda

22 set (2 dias atrás)

Bibi

Ed.. então.. como crítica lietrária te digo de carteirinha.. criticar não só deve como PRECISA ser feito com argumentação. Eu critico muito Paulo Coeleho e sua produção supostamente literária, mas pra isso precisei lê-lo e apontar o que me parece ruim. Vc fala de verdades absolutas de quem critica..não creio que a minha seja a verdade única, opém acredito em minha análise, ela está coerente com MEU conceito de qualidade literária. … o que não significa que todos devam concordar. E mais.. quem critica é pq gosta de pôr defeitos? rsrs poode ser.. principalmnte, no meu caso, por ser péssima escritora.. não mais que medíocre literata, escolhi analisar o trabalho do outro,mas não posso fazê-l0 ao meu bel prazer.. preciso criticar com lógica e coerência para que o que eu diga tenha valor..

22 set (2 dias atrás)

Albertr00

Posso fazer uma crítica?

A Deb é gostosa pra caralho. Bati várias pra ela!

22 set (2 dias atrás)

Lobo

no mundo atual a critica é algo até vulgar. não cabe ao pretencioso se omitir,e sim ao ofendido aceitala ou entendela

22 set (2 dias atrás)

Lobo

alberto

sou mais a bibi

Picture

Edward

Bem… temos que partir para o que seja a crítica… Levando em conta a sua significação perceberemos que ela seja um comentário sobre algo na qual através de um julgo da idéia exposta traga consigo alguma informação a acrescentar ou a retirar.

Ela não se resume apenas em apontamento de defeitos, funciona também como exaltação de qualidades, acréscimo ou retirada de idéias, dependendo apenas na maneira em como se lançar uma crítica, com respeito e cordialidade.

Temos que reconhecer que a crítica em si não não algo satisfatório para o sujeito em questão, mas é essencial para a correção e verificação de uma obra, na garantia de sua eficácia ou validade. É claro que temos que reconhecer que não é muito agradável receber uma crítica, mas ele é essencial para o aprimoramento da atividade em questão, se esta estiver pendendo para outros rumos.

A crítica é sinal de importância, de valorização, o quanto o outro valoriza a sua obra a ponto de estuda-la e apresentar claramente os pontos incoerentes para que possa corrigi-los e retomar o trabalho.

Também não podemos sair por aí pregando o que é “certo” ou “errado”, mas a crítica deve ser empregada ma medida certa, no momento correto e na circunstância adequada, onde respeitosamente você contribui com a obra do seu colega através da iniciativa em manifestar-se auxiliando com anexos de informações que faltam para a conclusão ou para encaminhar o trabalho aos rumos da razão.

22 set (2 dias atrás)

Mateus Davi

Sei, sei…

Na teoria, a crítica é linda, na prática, é um convite a pancadaria.

Excetuando meia-dúzia de verdadeiros filosofos, os lastimáveis humanos ainda não são capazes de suportar uma diatribe.

22 set (2 dias atrás)

Picture

A questão vai em como se aplicar a crítica, pois dependendo da aplicabilidade sem alguma regência e moderação, ela poderá sair como uma ofensa ou uma forma de desrespeito.

Além do tratamento, abordagem estará presente a circunstância em dar uma dica.

22 set (2 dias atrás)

Miranda

A crítica sem fundamento é apenas picuinha de gente que nao tem o que fazer… Portanto, nem crítica é, pois a própria etimologia e conceito que a palavra encerra, nos traz a noção e o entedimento de descida às bases, aos fundamentos.

Sem isso, sem trazer, seja apontando incoerências ou justificativas, as bases e fundamentos do que é criticado, não pode ser considerado crítica.

A deturpação dessa palavra para algo negativo, pejorativo, é apenas uma extensão de sentido feita por gente cheia de “não me toques” e que não permite uma contrariedade por se achar absoluto.

Críticas, em qualquer contexto, são bem vindas. Chamar de crítica o que não é crítica, só mostra primarismos, nada mais…

A CRÍTICA VERDADEIRA só é negativa na cabeça do absolutista que se acha o máimo e dono da verdade. Toda crítica é construtiva.

Sarte já dizia que construção ou destruição está no olhar e nas concepções intencionais de uma consciência que se volta a um fenômeno. O Ser da crítica é o que o criticado traz em seus preconceitos…

lembremos, crítica que não procura escancarar o fiundamento daquilo que critica, não é crítica, é picuinha, futricos, churumelas… nada mais…rs

22 set (2 dias atrás)

Geison de A.

argumentação consistente, sim…fala respeitosa e polida…hahahaha…nem sempre!

22 set (2 dias atrás)

Mateus Davi

Miranda

Você não está sendo lá muito crítico quanto a sua crítica à critica…

uahauahuahauah

22 set (2 dias atrás)

Miranda

22 set (2 dias atrás)

Geison de A.

e o que é mais útil para o criticado…a construtiva ou a destrutiva?

22 set (2 dias atrás)

Lobo

acho que a desconstrutiva,porque devese eliminar o mal pela raiz

22 set (2 dias atrás)

Geison de A.

comece eliminando o que tu pensas que pode falar a respeito da palavra desconstrução.

Water

Uma critica destrutiva:

O viado do ogro, aqui pergunta se pode participar, nos dois tópicos que eu criei, o fdp, participou sem pedir licença e mudando de assunto. Vá entender uma praga dessa!

maldito ogro!!!

toda critica é critica e é fundamentada, bem ou mal, dá na mesma, é crítica!

a qualificação da crítica é outra papo.

Esta é boa, esta é injusta, está é uma merda, e esta espetacular.

construtiva só para o crítico, porque o criticado sempre tem o ego esmigalhado, huahuahuahuahuahua.

22 set (2 dias atrás)

Water

Só porque resolveram chamar os fofoqueiros da arte de críticos, isso não quer dizer que só isso seja critica.

22 set (2 dias atrás)

Lobo

Geison

olha a picuinha rapaz!

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

Water

a pergunta ofendeu… ???

em que… ???

.

foi apenas uma pergunta…

qual o problema…

Foi uma questão normal…

.

poderia estar criticando o texto…

e meus textos não poderiam ser criticados… ???

.

que mal poderia haver em uma critica…

boa, ou má…

toda crítica leva em alguma reflexão…

.

porém…

salientei bem…

que não era uma pergunta irônica…

.

mas…

pensar…

pode ser algo que invalide uma crítica…

.

22 set (2 dias atrás)

Geison de A.

porra, lobo…não aceita nem uma criticazinha?

22 set (2 dias atrás)

Water

Azemuth

Foi só um exemplo de critica.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

Water

Azemuth

Foi só um exemplo de critica.

###

Eu sei…

a minha última postagem também…

foi apenas mais um exemplo…

.

22 set (2 dias atrás)

Picture

“A Armadilha das Críticas”

É um aviso do Eward!!

.

A crítica pode ser utilizada como uma armadilha pela pessoa que a recebe, através do uso do cinismo e da má intenção ao julgar o ato de quem a comete!!

22 set (2 dias atrás)

Lobo

bem…acho que descontrução seria separar as partes e comecar a analisalas cruas ,suas fontes,e então reconstruilas como o criador,assim teriamos o meio correto de analise para uma critica bem fundamentada,ao menos que vc esteja reclamando que eu escrevo errado…

22 set (2 dias atrás)

Lobo

é exemplo claro de cinismo sem fundamentar nada

Water

Essa frase tá mal construida “pá karaiu!”

22 set (2 dias atrás)

Water

A critica pode ser fundamentada ou não fundamentada.

Cabe ao critico escolher (livre arbítrio), huahuahuahua, se quer emitir uma critica fundamentada ou não.

A não fudamentação não descaracteriza a critica, só não foi fundamentada.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

expressar aqui um parecer é uma crítica…

a favor ou contra…

.

22 set (2 dias atrás)

Geison de A.

lobo…eu tentei separar as partes, como tu disseste…e olha o que eu encontrei naquilo que escreveste:

.

22 set (2 dias atrás)

Water

Porque alguem chega aqui e diz que para ser crítica tem que ser fundamentada, todo mundo segue falando essa besteira!

Para ser critica, basta ser crítica!

Quer fundamentar, fundamenta, não quer, não fundamenta!

22 set (2 dias atrás)

Miranda

Water

Esse alguém fui, pode nomear, não tem problema, eu aceito críticas e reafirmo que se não tiver fundamento nem direção, é fofoca, não é crítica.

Mas melhor eu fundamentar essa minha noção, claro!…

Se crítica é, cnceitualmente, descer no fundamento de algo (como nos mostra tanto sua definição quanto sua etimologia), como podemos conceber uma crítica sem fundamento? Isso é contraditório…

Mas claro, você pode achar que crítica é o que você quiser. Tem livre arbítrio para isso… basta repetir várias vezes, e talvez (como já aconteceu) ela incorpore muitos outras definições por extensão de sentido…

QUer pensar que exista vários tipos de crítica, fique totalmente a vontade…

Aff cada uma…

22 set (2 dias atrás)

Miranda

é… e pelo jeito de falar já até sei de quem se trata kkkkk voltou na mesma né? Seja bem vindo…

22 set (2 dias atrás)

Lobo

pois é no silencio encontrase a verdade

22 set (2 dias atrás)

Water

Toda critica tem fundamento, ou nem existiria, mas o critico fundamenta se quiser.

Sacou? não tem obrigatoriedade de estar fundamentada.

Se eu disse que voce é um mala.

É uma critica, obviamente tem um fundamento que me levou a emitir essa crítica, mas eu digo se quiser, não é.

Só porque eu digo apenas isto: “Voce é um mala”

Não é critica? É sim!

Critica com fundamento não revelado.

huahuahuahuahua!

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

PAREM COM ESSAS CRÍTICAS… !!!

Miranda

Exemplo de algo que não é crítica…

Porque alguem chega aqui e diz que para ser crítica tem que ser fundamentada, todo mundo segue falando essa besteira!

Notamos alguma preocupação em questionar o fundamento do que foi dito? Não vejo. Notamos uma descida crítica às bases que sustentam o raciocínio que justifica a necessidade da fundamentação da crítica para ser crítica? Também não vejo…

E o que seria essa frase? Para mim, segundo os critérios que procurei justificar, é qualquer coisa, mas não é crítica. Parece ser apenas julgamento cujos critérios não estão claros. Ou seja, Doxa. Picuinha… Um simples ataquzinho chinfrin que nem resvala nas bases do que foi dito, que foca o interlocutor e não o argumento.

Isso é crítica? Gostaria demais de saber…

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

criticar uma crítica é muito complicado…

.

22 set (2 dias atrás)

Miranda

Water

Você ache o que quiser cara… Problema seu…

Não é só ter um motivo, um fundamento. Mas sim descer ao fundamento daquilo que critica. A fundamentação da crítica é a justificativa que ela traz para o que ela emite sobre o que está sendo criticado.

Mas não vou perder meu tempo não… Se for começar a perseguição de novo, eu ja vou indo. Não estou com saco…

fui….

22 set (2 dias atrás)

Water

A critica só acontece sobre argumentos?

não!

Critica-se tudo.

Um outro, um argumento do outro, uma obra de arte do outro, uma peça, etc…

Tudo é passível de crítica.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

criticar uma crítica…

é como censurar o direito de expressão do sujeito que faz a crítica…

.

criticar é fazer um julgamento…

e um julgamento é uma investida muito pessoal…

.

22 set (2 dias atrás)

Water

exato ogro!

22 set (2 dias atrás)

Lobo

para julgar é preciso provas e leis isso se chama fundamento

22 set (2 dias atrás)

Miranda

Aze

O que devamos fazer? Esquecer o conceito e a etimologia da palavra e sem criticá-la naquilo que ela traz, simplesmente mudá-la para o que queremos que seja? É isso?

Mais uma vez argumentando e aceitem se quiserem, se crítica (como nos indica sua etimologia e seu conceito) se refere à uma descida às bases de algo e naquilo que o fundamenta para analisar sua validade, como conceber que uma crítica possa ser sem fundamento que a justifique?

Desculpe, mas somente na cabeça de vocês… Mas que seja, fica assim então… Crítica é tudo o que vocês querem e se sentem confortáveis que seja… Ótimo, tudo mundo feliz rsrsrsr

Eu estou… Se um mero julgamento é crítico, misturamos tudo, preconceito com crítica… Até então eram coisas excludentes, mas agora vocês misturaram tudo.. tudo é crítico… beleza… Ohhhh Senso Comum… depois falam que a Filosofia complica, coitada…

Fiquem na paz….

Abraços

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

Ler…

Causa um Fundamento… ???

.

22 set (2 dias atrás)

Miranda

Tudo é passível de crítica, mas nem tudo é crítica. Falácias ad hominem é apenas falácia. Erro de raciocínio, engodo, primarismo, falta do que fazer e inabilidade. É qualquer coisa, menos crítica.

Conceber crítica como algo que não precisa se justificar em suas bases para ser válido, é admitir que meros xingamentos, mesmo com motivos (sejam lá quais forem), se tornem críticos… É rídiculo. Essa doxa não tem base para se validar…

Mas continuem… mãos a obra…. critiquem a vontade, a sensação é boa. Aliás, uma boa desculpa para não se ver sórdido e dizer apenas: “sou crítico” kkkkk

@zemuth

crítica

.

Acepções

■ substantivo feminino

1 segundo a tradição, arte e habilidade de julgar a obra de um autor

2 exame racional, indiferente a preconceitos, convenções ou dogmas, tendo em vista algum juízo de valor

(…)

10 Rubrica: filosofia.

exame de um princípio ou idéia, fato ou percepção, com a finalidade de produzir uma apreciação lógica, epistemológica, estética ou moral sobre o objeto da investigação

11 Rubrica: filosofia.

entre os pensadores iluministas e seus epígonos, questionamento racional de todas as convicções, crenças e dogmas, mesmo se legitimadas pela tradição ou impostas por autoridades políticas ou religiosas

12 Derivação: por extensão de sentido. Rubrica: filosofia.

no kantismo, questionamento empreendido pela razão a respeito de seus próprios limites, princípios, pretensões cognitivas e especulativas

.

22 set (2 dias atrás)

Lobo

você pode olhar uma tela de um artista e falar pra ele que não gostou.

nesse caso, vc pode ter um fundamento oculto,ser sua opniao pessoal ou picuinha…

agora sua visão doque é belo é totalmente subjetiva,já o artista vive para isso conhece as tecnicas e inventa uma nova visão apartir delas. agora você conhece as tecnicas<> ou amenos viu outras centenas de telas que gosta e nao gosta<>

22 set (2 dias atrás)

Miranda

Crítica

A palavra Crise tem sua origem etimológica no verbo grego “krino”, que significa separar, apartar, escolher, cortar, decidir, julgar. Portanto indica um agir, uma ação que promove cisão, quebra. A crítica é a atividade que regulamenta a crise, isto é, seu modus operandis.

.

Em sua origem, a mesma da crise, era um adjetivo que indica aquele que é capaz de julgar e discernir, segundo Paulo Martins (Doutor de Língua e Literatura Latina da USP)

.

Fonte:

.

MARTINS, Paulo. “Crise, Crítica e Discernimento.” Letras & Artes: Ensaios, resenhas, notas e traduções. Edição: BLOGGER. 23 de Julho de 2008. http://letrasartes.blogspot.com/2008/07/crise-critica-e-discernimento.html

.

Segundo:

LALANDE, André. Vocabulário Técnico e Crítico da Filosofia – Verbete “Crítica”. 3ª Edição. Tradução: Fátima Sá COrreia. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1999. p. 221

.

Crítica

Exame de um princípio ou de um fato, a fim de produzir sobre ele um juizo de apreciação.

.

________

.

Logo, o que caractriza a Crítica, meus senhores? Como classificar uma ação como “crítica” ou uma apreciação como “crítica” sem que ela mostre o exame que fez e só desfira o juízo? Como então, se não for preciso a crítica ser justificada, separar o mero preconceito e ataques insanos a alguém de uma crítica real se não for atraves das justificativas de seus fundamentos explicitando o exame feito?

.

Valha-me…

.

Achem o que quiserem… Não paga imposto mesmo srrsrr

.

Miranda

22 set (2 dias atrás)

Lobo

não existe 100% de indiferença ou imparcialidade

22 set (2 dias atrás)

Ninja

Três vivas para a crítica bem intencionada.

Viva.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

edward

A Armadilha das Críticas

.

Uma das atitudes mais comuns da humanidade, a crítica oculta sempre a premissa,

por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra

levará ao melhor resultado.

Os que se acham perfeitos estariam no direito de criticar tudo aquilo que não está em consonância com o seu modelo de mundo real.

#####

O mundo sempre é visto com os olhos da individualidade…

porém…

pode Ser Lido pelo coletivo…

.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

edward

A Armadilha das Críticas

.

(…)

Há, porém, os que buscam a perfeição de maneira saudável, sem o perfeccionismo

obsessivo.

Estes são conscientes de si mesmos e de suas limitações, aprendem com suas imperfeições, aceitam e apreciam a orientação de outras pessoas.

Existe, porém, o problema sobre a compreensão do que é ser crítico.

Por outras palavras, há muita arbitrariedade no uso da palavra crítica, desde o julgamento popular de uma “situação crítica” até a conceituação originada na filosofia de: “espírito crítico”, “pensamento crítico”, etc.

#####

Toda leitura provoca um Julgamento…

ou…

Uma análise crítica da idéia…

.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

.

edward

A Armadilha das Críticas

.

(…)

Existe uma associação indevida entre crítica com o ato de apontar defeitos.

Existem aqueles cujo estilo vulgar de ser crítico levam os ingênuos a reproduzirem o seu modo estereotipado de opinar sobre as coisas sem pensar autocriticamente.

Esse processo de pseudo-crítico chama-se doutrinação…

#####

perceba que toda Leitura pode estar levando uma Doutrinação…

a própria filosofia… exige uma certa Doutrinação…

.

22 set (2 dias atrás)

@zemuth

(…)

.

(…) A educação pode tanto ser direcionada para a doutrinação como para a libertação.

Só uma educação voltada para a formação do pensamento crítico pode contribuir para a libertação e autonomia do sujeito.

Bom senso, ética-moral, elegância no dizer, ter coragem de fazer autocrítica, devem ser imprescindíveis ao crítico.

O bom senso orienta que, antes de atirarmos a ‘primeira pedra crítica’, devemos nos colocar no lugar do criticado.

#####

a partir deste momento…

Eu estou exposto às Críticas…

.

22 set (2 dias atrás)

Ezequiel

Exisite a diferença tambem entre critica e opinião.

Opinião deve ter embasamento firme.

Critica deve ter criticidade: Grau de importância que um requisito, módulo ou erro possui no sistema.

Existe por traz de tudo o impulso, certos defeitos emocionais à priore da critica ou da opinião, que levam a uma fala dotada de finalidades irracionais.

Water

O termo critica é abrangente e o Azemuth já trouxe as possibilidades da palavra.

Existe a crítica do conhecimento, a crítica científica, a crítica filosofica, são criticas que as comunidades cientificas e filosoficas exigem fundamentação para análise e aceitação, mas apenas pelo ângulo da aceitabilidade, de resto, mesmo se não for aceita, não deixa de ser critica, foi uma critica cuja fundamentação não teve aprovação.

Michael Focault, em uma entrevista fala sobre a critica e o espírito critico:

http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/critique.html

Texto interessante, por isso colo aqui a quem possa interessar.

O texto do Edward não trata especificamente da critica cientifica nem filosofica, mas da critica em geral.

Voce porque leu sobre a critica filosófica, uma das criticas do conhecimento, já deduz com essa capacidade de entenimento espantoso que tem, que só existe esse tipo de critica. E a critica a cerveja quente ou ao clima, não são criticas, porque não tem fundamentação filosófica.

Eu disse que a critica tem fundamento, mas que é fundamentada se o critico assim o desejar fundamentar. no caso da critica do conhecimento ele precisa fundamentar bem porque deseja aceitação.

Boa Noite!

As críticas que voce me faz sim são picuinhas.

Está vendo? até as picuinhas são criticas.

Eureka!

22 set (2 dias atrás)

Water

É ruim

.

Minha participação na comunidade não tem nenhum interesse de perseguir ninguem, principalmente macho.

Então por favor, deixe essa viadagem de lado, e para de dizer que eu o estou perseguindo, porque NÃO ESTOU, nunca estive. Nem se eu fosse bicha, tu seria meu tipo, huahuahuahauhuahauhau.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Pois é, engraçado isso… I

Estou lendo o texto do fantástico Foucault aqui. Ele lança 3 pontos de ancoragem na genealogia da crítica que ele pretende fazer, que extrapola a questão filosófica como você nos sugere.

Nos 3 pontos existem algo em comum que, curiosamente, é o que venho afimando aqui, embora se refira a 3 esferas de atitude crítica diferentes que irrompem na modernidade do sec. XVI, a saber:

1. Critica bíblica: ou seja, desceu-se ao fundamento do dogma e do governo da autoridade religiosa naquilo que era alegado como fundamento dele: as escrituras. A crítica foi direcionada à sustentação de uma instituição que se dizia baseada na bíblia e foi usada sua própria base para ser criticada. Isso confirma o que falei, pois como fazer essa descida sem demonstrá-la?

2. Crítica Jurídica: ou seja, desceu-se ao fundamento onde se descobriu criticamente a “ilegitimidade essencial” (palavras de Foucault) da norma jurídica vigente frente à sua base existencial: o direito natural. Isso confirma o que falei, pois como fazer essa descida sem demonstrá-la?

3. Crítica da certeza em face da autoridade: ou seja, desceu-se ao fundamento que justificaria a verdade por traz da autoridade para se criticar a verdade em um Sujeito, o que Foucault chama de “desassujeitamento no jogo (…) da política da verdade”. Isso confirma o que falei, pois como fazer essa descida sem demonstrá-la?

E por que confirma o que falei? Porque nenhuma dessas críticas, mesmo fora do âmbito filosófico, se fizeram sem que se justificasse a desconstrução dos fundamentos daquilo que criticaram. Logo, não há crítica que possa ser chamada de crítica sem uma justificativa pra que seja o que é.

É da crítica, portanto, como componente essencial de seu Ser, a justificação daquilo que está criticando e é justamente por descer às bases que fundamenta aquilo, mostrando que o que era para fundamentar, na verdade, não fundamenta como era esperado.

..cont..

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Pois é, engraçado isso… II

..cont..

Como ainda Foucault diz: “a crítica existe apenas em relação a outra coisa que não ela mesma: ela é instrumento, meio para um devir ou uma verdade que ela não saberá e que ela não será, ela é um olhar sobre um domínio onde quer desempenhar o papel de polícia e onde não é capaz de fazer a lei. Tudo isso faz dela uma função que está subordinada por relação ao que constituem positivamente a filosofia, a ciência, a política, a moral, o direito, a literatura etc. ”

Mas, combinemos, ele fala da “atitude crítica como virtude em geral”. Ele não diz que uma crítica que não seja virtuosa deixa de ser crítica. Alias, ele nem menciona críticas que não sejam virtuosas. Parece-me que para ele nem merecem ser mencionadas. Ou, talvez, nem existam, como é o que tento defender aqui.

Eu já dou o passo conceitual de defenestrá-las como crítica. Crítica, para mim, é sempre virtuosa. E por isso não prescinde de maneira alguma de justificar suas bases naquilo que ela descobre de incongruências nos fundamentos daquilo que critica. Sem isso, não merece ser chamada de crítica, ela é outra coisa e existem nomes para essa outra coisa.

Mas na verdade não importa. Aqui somos todos livres para chamar o que quisermos daquilo que quisermos, não é? Para quê esse preciosismo todo? Que nos viremos como dê para que nos entendamos, pois tudo é crítica e tudo vale.

Engraçado que destaco uma frase do Edward onde ele coloca que a crítica “oculta sempre a premissa,por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra levará ao melhor resultado.”. – Eu disse em resposta a ela, mediante ao que eu entendo como crítica, que uma crítica que tem como fundo apenas a confirmação de uma verdade do crítico, nem é crítica de verdade, mas manipulação. E foucault confirma isso dizendo que a crítica procura uma verdade que não está necessariamente com ela.

..cont..

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Pois é, engraçado isso… III

..cont..

Talvez eu tenha pretendido definir crítica como essa virtude em geral que Foucault no exorta no texto. Talvez eu tenha errado em fazer isso. Talvez, realmente, o mero exercicio de vaidade, ataques gratuitos e sem justificativas honestas sejam crítica também.

Ou talvez, e só talvez, a petição de que crítica seja também sinônimo de ataques, perseguiçoes e meras doxas sem fundamentos que as justifique, seja exatamente a materialização da frase do Edwrad, ou seja, o ocultamento de uma premissa de que a posição de quem defende esse ponto é a correta.

Ora, se eu quero me auto-denominar crítico, mas não consiga derrubar os fundamentos daquele a quem não gosto, a solução é simples: digo que é crítica também xingá-lo, desacreditá-lo e persegui-lo por tudo quanto for motivo que imagino, sem precisar me reportar àquilo que ele fala e seus fundamentos. Resolvido o problema, sou crítico mesmo que para mim não faça a menor importância de praticar uma crítica como uma virtude em geral. Fico bem na finta e engano todos para estar certo… Simples…

Foucault, dando uma aula de virtude crítica, critica a própria crítica moderna em suas bases e fundamentos, nos denunciando a ilusão da razão em conseguir criticar a si mesma de maneira desprendida dos contextos em que está inserida.

Essa genealogia que Foucault faz é totalmente crítica, e justamente o é porque nos denuda os fundamentos daquilo que se dizia causado por uma coisa que na verdade não é, embora ele não indique a causa.

Agradeço ao link… Está demonstrado a impossíbilidade de se falar em crítica (ao menos como uma virtude em geral) sem se descer aos fundamentos do que é criticado e demonstrar onde ocorre ou não a coerência entre fundamento e exterioridade.

Mas….Em suma… Crítica é o que vocês quiserem que seja, ok?

Vou dormir…

Miranda

23 set (1 dia atrás)

Vanessa

Importante se faz enxergar o que é crítica. Pra mim, o ato de criticar, para os seres vulgares, desprovidos de inteligência, não passa de apontar defeitos .. mas a verdadeira crítica, que é a digna de um ser racional, é aquela perspicácia em reconhecer o erro, mas nunca monopolizando os seus resultados, deixando a outrem a capacidade de julgar ou até mesmo refazer a ‘ crítica ‘ sobre os alicerces da crítica existente .. a verdadeira crítica é aquela que sobreexiste a outras críticas e prova por si mesma que é fundamentada nos alicerces da razão ..

23 set (1 dia atrás)

Water

.

“A verdadeira crítica”, “seres vulgares”, huahuahuahuahuahua!

Criticar é emitir valoração ao objeto criticado, pode ser por apontar defeitos ou qualidades. A crítica profissional, além de criticar apresenta o porque da emissão de valores em relação ao objeto, a tal fundamentação. É uma critica feita por alguem pago para criticar e que tem um público alvo ou é uma critica feita por alguem interessado em mudar um conceito do conhecimento, uma teoria científica por exemplo, e também tem um público alvo. Sua critica sofrerá a crítica de outros e necessita de fundamentação para se sustentar, contudo a palavra critica não se restringe apenas a essa significação, ela diz de todoo juízo que aponta valor sobre um objeto.

Focault foi claro e o texto está em português, não necessita de tradução.

Postei porque achei “muito bom”, não para desdizer o que já foi dito, mas para divulgar uma boa entrevista sobre o assunto discutido, mesmo porque não discordo que uma crítica bem formulada deva apresentar fundamentação. Só estou dizendo que a palavra significa mais do que apenas isso.

Para que restringi-la?

Não tem sentido.

A crítica absurda, a crítica mal feita, tb é crítica.

A qualidade da crítica ou do crítico, não descaracteriza o ser crítica, assim como uma mala sem alça também é mala. A ausência da alça não descaracteriza o objeto de ser mala. É mala sem alça, o mesmo se diz da crítica sem fundamentação exposta, é crítica não explicada, como também não precisa de aprovação ou aceitação para ser crítica.

O crítico pode ser educado, pode ser vulgar, pode ser preconceituoso, pode ser o que for, se emitiu uma crítica, a crítica é crítica idependente do seu modo de ser ou dos valores pessoais dos que o observam tenham a respeito dele.

Se não fosse assim, deveriamos criar leis que tornassem crime ao homem vulgar emitir críticas. De hoje em diante só os malas poderão fazê-lo.

A verdadeira crítica? Isso é argumento? Existe uma crítica com valor de verdade absoluta?

aimmm…

23 set (1 dia atrás)

Water

Focault vê no espírito crítico uma virtude, porque assim como eu, detesta babaovos que só aceitam e concordam.

O espírito crítico pensa sobre tudo quanto lhe vem a frente e emite sua impressão pessoal.

“Isso não pode ser”, está feita a crítica.

I”sso não pode ser por essa ou essa razão”, está feita a crítica com fundamentação.

A crítica pode ser bem feita, mal feita, justa, injusta, ortodoxa, vulgar, e pode gerar todas as subjetividades de quem a critica, a crítica também pode ser criticada.

O crítico pode ser o “homem vulgar”, irghrrrrrrrrr, o homem perfeito, irghrrrrrrr, o homem mala, o homem…., basta ser humano para ter a capacidade de criticar.

Crítico pode ser até uma profissão com a incumbência de criticar, e nesse caso, obviamente, fundamentada. Ninguem paga ninguem para escrever numa revista apenas: Não gostei dessa peça. Esse filme é uma porcaria. Além da crítica o leitor exige a fundamentação.

23 set (1 dia atrás)

Water

A crítica pode ser um parecer técnico e pode ser um comentário apenas.

A língua portuguesa tem essa característica de dar as palavras mais de uma significação.

Assim como manga é uma parte da camisa e é também uma fruta.

Crítica é um parecer fundamentado e é também uma adjetivação qualquer.

23 set (1 dia atrás)

Water

Mala Único

Já disse que toda crítica tem fundamento.

O fundamento da crítica é o objeto criticado e a forma que o crítico a vê.

Temos dois elementos na discussão.

1. A crítica.

2. a fundamentação da crítica.

O crítico pode emitir apenas um ou emitir os dois.

Se for profissional e sua função for ser crítico ele precisa fundamentar para não perder o emprego e para ter sua crítica considerada pelo público alvo, as cmunidades do conhecimento ou o leitor.

Se não for profissional emite a crítica a sua maneira e gosto.

Do you understand?

@zemuth

.

Bom dia Críticos…

já Eu volto…

.

23 set (1 dia atrás)

Water

Não há nada mais vulgar do que esse tipo de expressão:

A verdadeira crítica, o verdadeiro filósofo, o verdadeiro isso, o verdadeiro aquilo…

Não descobriram ainda que o verdadeiro verdadeiro, deixa de ser verdadeiro assim que um novo verdadeiro comprove sua “inverdadeirabilidade”, huahuahuahuahuahuahua.

23 set (1 dia atrás)

Water

tb sei inventar palavras ridículas 😀

“inverdadeirabilidade”

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

bom senso orienta que, antes de atirarmos

a ‘primeira pedra crítica’, devemos nos colocar no lugar do criticado.

.

Criticar uma obra de arte, uma teoria, os políticos, as atitudes das pessoas, no fundo, consiste tão somente em apontar defeitos ou é imprescindível ao crítico investir numa argumentação consistente, fala respeitosa e polida?

.

Comente.

.

Criticar:

Uma Obra de Arte

Uma Obra em Teoria

Um Político

Atitudes Pessoais

.

Julgar, pelo que entendi, é apenas encontrar Defeitos… ???

Como ser consistente em um Julgamento… ???

Expressar, Verdades, ainda que de Forma Emocional, é desrespeito… ???

Ou, esse doutrinamento, pertence Somente aos “Críticos” já Esclarecidos… ???

.

Ou mais especificamente, em minha Crítica, é dirigida aos ocultos Formadores de Opinião… ???

.

Uma Obra de Arte, é Arte, pq alguém Declarou que Ela é Arte… ???

Mas…

Que Valor pode Ter a Arte… ???

O Valor do Gosto Pessoal…

será que há mais do que Arte, por trás de uma Arte… ???

.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

isto não é uma correção…

.

apenas uma análise, avaliação, para a leitura… que me causou dúvida:

Uma das atitudes mais comuns da humanidade, a crítica oculta sempre a premissa,

por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra

levará ao melhor resultado.

###

1 – a crítica oculta sempre a premissa… ???

2 – a crítica oculta sempre à premissa… ???

3 – a crítica oculta sempre na premissa… ???

.

23 set (1 dia atrás)

Water

Concordo!

A empatia melhora a qualidade da crítica.

23 set (1 dia atrás)

Water

Minha primeira frase foi:

Criticar é emitir valoração ao objeto criticado, pode ser por apontar defeitos ou qualidades.

um crítico teatral pode falar bem da peça que analisa.

É uma crítica favorável!

Azemuth, voce nem leu e advinha.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

Water

Minha primeira frase foi:

Criticar é emitir valoração ao objeto criticado, pode ser por apontar defeitos ou qualidades.

um crítico teatral pode falar bem da peça que analisa.

É uma crítica favorável!

Azemuth, voce nem leu e advinha.

###

Se respondo… Eu Li…

porém…

pode esclarecer melhor… ???

.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

em princípio de análise temos antes que:

ORIENTAR

é de certa forma…

conduzir, dirigir(algo ou alguém) para uma determinada direção;

encaminhar, guiar, influenciar

de certa forma… determinar que…

ou ainda…

doutrinar que…

.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

4 – a crítica oculta sempre em premissa… ???

YEDRA

Segundo Foucault, uma crítica não consiste em dizer que as coisas não estão bem como estão. A crítica consiste em ver sobre que tipos de evidências, de familiaridades, de modos de pensamento adquiridos e não refletidos, repousam as práticas que se aceitam. Para ele, o essencial da vida humana e das relações é o pensamento. E o pensamento é algo que pode se ocultar, mas está lá. A crítica tem a função de detectar o pensamento oculto nos comportamentos mais tolos e nos hábitos mais imperceptíveis, e ensaiar a mudança. Fazer a crítica é “desvendar portanto, o pensamento atrás da ação e tornar difícil os gestos fáceis demais”. Nestas condições, a crítica é absolutamente indispensável para toda transformação; pois uma transformação que permaneça no mesmo modo de pensamento, que seria apenas uma certa maneira melhor de ajustar o pensamento à realidade das coisas, não passaria de uma transformação superficial.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

estava repassando a Leitura…

e olha com o que deparei:

Vanessa

Importante se faz enxergar o que é crítica.

Pra mim, o ato de criticar, para os seres vulgares, desprovidos de inteligência, não passa de apontar defeitos…

mas a verdadeira crítica, que é a digna de um ser racional, é aquela perspicácia em reconhecer o erro, mas nunca monopolizando os seus resultados, deixando a outrem a capacidade de julgar ou até mesmo refazer a ‘ crítica ‘ sobre os alicerces da crítica existente…

a verdadeira crítica é aquela que sobre-existe a outras críticas e prova por si mesma que é fundamentada nos alicerces da razão…

#####

não vou criticar…

mas…

poderiam cometar… ???

Eu, não posso comentar…

estou me considerando muito “Vulgar”… para fazer aqui… um julgamento…

.

23 set (1 dia atrás)

edward

.

Caros Críticos

.

Como metacrítico [crítica da crítica], considero todas as exposições e posições,

um tipo de crítica. Como o Water salientou e observou, o tópico não se dispôs

a especificar um modo de crítica, mas deu sua dimensão aos mais diversos posicionamentos. Fundamentando a partir do poder da palavra, podemos

criticar (opinião, parecer, impressão, achismos…) e devemos criticar. YEDRA nos fala de transformação. É, transformação é o fim último da crítica, seja ela do

senso comum, seja fundamentada em seus conceitos (não se deve esquecer de sua evolução conceitual). Mas essa fundamentação vem sempre velada, oculta, mascarada

em suas intencionalidade. O que podemos aprender e apreender desses rufiões, abaixo citados:

.

“A ridícula situação de alguém que critica o que confessa nunca ter lido,

já é suficiente para desqualificar a sua crítica.” (Voltaire)

“A coisa mais difícil do mundo é conhecermo-nos a nós mesmos, e o mais fácil é falar mal dos outros.(Tales de Mileto)

.

“Ouvir Grieg é salutar” – disse o maestro.

“A pintura de Munch é uma porcaria” – disse um homem comum, do povo.

Estamos diante de duas críticas. Como sabemos, nem todos os estados mentais intencionais são conscientes, e nem todos os estados mentais conscientes são intencionais. A intencionalidade não é a mesma coisa que consciência, apesar de aliada à esta. Por isso, abandona e rejeita a noção de identidade entre consciência e intencionalidade, e qualquer teoria que diz que toda consciência é “consciência de”.

E, que não se deve confundir “intencionalidade” com “intenção”. Estas duas palavras (“intenção” e “intencionalidade”) possuem um significado próximo no vocabulário do senso comum. E por isso há uma dificuldade em se entender a intencionalidade como um aspecto mais geral que intenção.

Daí, só falarmos, criticamos sem a preocupação de sabermos ou não sua etimologia

e/ou conceito. O Miranda tem razão quando não abre mão de que uma crítica tem que ser fundamentada e criteriada segundo sua etimologia e conceito.

.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

COMENTAR

.

Acepções

■ verbo

transitivo direto

1 tornar inteligível ou interpretar por meio de comentário escrito ou falado

Ex.: na primeira aula, comentou os vilancetes camonianos

transitivo direto e bitransitivo

2 conversar sobre, discutir acerca de

Ex.: c. (com o amigo) a vida que se vai vivendo

transitivo direto

3 fazer uma apreciação crítica

Ex.: o examinador comentou a prova escrita dos alunos

transitivo direto

4 tecer observações mais ou menos malévolas, maliciosas

Ex.: c. a vida alheia

Etimologia

lat. commento,as,ávi,átum,áre ‘meditar, pensar em; compor, escrever sobre um assunto; comentar, anotar, explicar, discutir; imaginar, descobrir’; ver men(t)-

Sinônimos

ver sinonímia de conversar, explicar e expor

Antônimos

ver antonímia de explicar

.

23 set (1 dia atrás)

Juan

edward, sou crítico de mim mesmo, o que sobra dessa auto-crítica, é a minha opinião

às coisas do mundo. um abraço a gatíssima vanessa.

23 set (1 dia atrás)

Vanessa

aha ! Uma crítica pode chegar a ser verdadeira se ninguém for capaz de desdizê-la ..

mas até ai o caminho é ardúo ! e como eu não me contradigo a minha exposição da minha idéia de ‘ crítica ‘ é pra ver se alguém consegue uma resposta melhor, pois se alguém conseguir me convencer, desfaço minha idéia e incorporo a outra.

É simples.

Sejamos objetivos !

hahahahaha

Abs

23 set (1 dia atrás)

Lobo

vanessa…vá ao cabelereiro!

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Water/Silas

Dizer que toda crítica tem um fundamento não significa nada. O que diferencia então uma crítica de um preconceito? Pois é… é a “explicitação” do fundamento. Se não foi justificado não é nada, não dá para saber o que é…

Mas tudo bem, quer continuar xingando e dizendo que é crítica, fique a vontade, guarde os fundamentos para vc e determine o mundo a partir de seu solipsimo característico…

Como disse, para mim, a discussão até acabou. Crítica e qualquer coisa que você fala, sempre será da forma como você quer que seja… Não tem porque discutir… pronto… estamos felizes….

23 set (1 dia atrás)

VΔ╙ĐΔ€ľГ ¬¬’

”Criticar uma obra de arte, uma teoria, os políticos, as atitudes das pessoas, no fundo, consiste tão somente em apontar defeitos[…]”

.

Não, quem só aponta defeitos não é critico, o critico tem que demonstrar a franqueza em que esteja estruturada/embasada as premissas dos argumentos ou opinião que critica.

.

Falar por falar até papagaio fala.

.

Argumentos embasados em Falácias é o que mais existem e são a mais fáceis de se criticar por que são todas fracas as suas bases e até podem ser utilizadas contra o próprio argumento para ser derrubado a ideia.

.

Por exemplo: Argumento de quantidade para validadar alguma idéia.

.

Muita gente, milhões fazem isto, se não fosse certo a milhões não faria.

.

Então ironizo: Então fumar maconha e cheirar cocaína é certo por que muitos e milhões pelo mundo também fazem.

.

Foi por terra o argumento.

.

”ou é imprescindível ao crítico investir numa argumentação consistente, fala respeitosa e polida?”

.

SIM e NÃO, depende do argumentador a quem ele critica, bateu levou, respeito tem que ser respeitado.

.

MAS se for necessario utilizar da forma menos respeitosa e menos polida, que seja pela ironia ou deboche.

.

DESDE QUE não ofenda a imagem da pessoa do argumentador oposto, mas sim dirigida a idéia, argumento ou opinião, nunca a pessoa.

.

A não ser que a pessoa “pesa” para levar na cara.

.

Tipo bateu?

.

Levou!

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Eu havia dito…

Uma crítica que oculta “por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra levará ao melhor resultado” não é crítica. Simples assim…

A crítica tem como fundamento justamente descer desconstrutivamente ao fundamento daquilo que está sendo criticado, correndo todos os riscos de confirmá-lo se os fundamentos se valerem.

A crítica é o único instrumento de transformação, tanto do mundo quanto de si mesmo. Criticar é procurar respostas dentro daquilo em que se critica, e quando não se encontra acaba por confirmar a possibilidades de outras visões.

Depreciar, ofender, deturpar, procurar pêlo em ovo, não é crítica. A única forma de não confundir simples perseguição de uma crítica real, é saber em que se fundamenta. Logo, não tem como desvincular a crítica de sua fundamentação e justificativa, já que ela existe como forma de desvendamento do que está oculto naquilo que está sendo criticado.

O senso comum é pródigo em deturpar o sentido das coisas. Não se trata aqui de reavaliar um conceito em vista de um fenômeno que ele tenta apreender, mas sim entender a que tipo de fenômeno ele trata. Se um conceito tratar de um fenômeno que já não consegue mais descreve-lo como é, o próprio conceito deve ser questionado.

Mas um conceito cujo fenômeno é específico, não se pode agregar outros fenômenos que não dizem respeito a ele e ampliá-lo arbitrariamente. Ainda mais quando o fenômeno que se quer agragar já tem seu próprio conceito.

Ora, xingamento é xingamento. Popularmente dizem que é crítica. Mas conceitualmente não é. Se o conceito de crítica é desvendar o fundamento de algo que nos aparece, a consequência lógica do próprio conceito é explicitar as justificativas das impressões críticas, sem a qual deixa de ser crítica para ser algo pessoal e tendencioso que não diz respeito ao objeto criticado. Isso seria crítica? Só na cabeça de alguns…

Mas….. pois é… tudo é tudo, nada é nada… pronto rssr

Miranda

Observer = Ell

“Os grandes críticos dificilmente são os melhores, pois a grande motivação sempre vem de frustrações, e não conseguem expressar a admiração de outra forma”

Elanklever

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Concordo com o Baphomet aí em cima rsrsr

A polidez e a educação é uma liberalidade do crítico e que é bem vinda se assim ele desejar. Mas é falacioso vincular a validade da crítica pela polidez. A crítica é válida por seu ambasamento, por suas justificativas daquilo que critica.

Da mesma forma que um mero xingamento não é crítica, um elogio também não é. Ambos, se não vierem com seus fundamentos que os tornem válidos como crítica, só são o que são: xingamento ou elogio, nada mais..

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Observer, essa frase parece ser preconceituosa e não crítica rsrs deve ser de algum criticado rs

23 set (1 dia atrás)

VΔ╙ĐΔ€ľГ ¬¬’

Miranda,

”Depreciar, ofender, deturpar, procurar pêlo em ovo, não é crítica.”

.

Pois é…

.

Também concordo…

.

Por isto toda a critica tem que demonstrar que o argumento, afirmação ou idéia não tem base para se fazer esta ou aquela afirmação.

.

DUVIDA?

.

Quem é que vai definir e conceituar o que é depreciação, ofensa, deturpação, quem esta procurando pelo em ovo????

.

A pessoa que tem sua idéia, afirmação ou opinião criticada é?

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Sim, mas mostrando onde houve essa deturpação… Alias, as deturpações mostram a si próprias para qualquer leitor atento. Mas o criticado pode mostrar, desde que demonstre e justifique também… Não vai adiantar ficar bradando que foi deturpado sem mostrar onde ocorreu… rs

23 set (1 dia atrás)

VΔ╙ĐΔ€ľГ ¬¬’

“Sim, mas mostrando onde houve essa deturpação… Alias, as deturpações mostram a si próprias para qualquer leitor atento. Mas o criticado pode mostrar, desde que demonstre e justifique também… Não vai adiantar ficar bradando que foi deturpado sem mostrar onde ocorreu… rs ”

.

Pois é…

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

Vanessa

aha ! Uma crítica pode chegar a ser verdadeira se ninguém for capaz de desdizê-la ..

mas até ai o caminho é ardúo ! e como eu não me contradigo a minha exposição da minha idéia de ‘ crítica ‘ é pra ver se alguém consegue uma resposta melhor, pois se alguém conseguir me convencer, desfaço minha idéia e incorporo a outra.

É simples.

Sejamos objetivos !

hahahahaha

Abs

###

Comentário apenas Vulgar…

Algo incomum da Realidade…

Todo Homem é Um Animal Racional…

Eu não Sou Muito Racional…

Sou muito Vulgar…

Sou o constructo da intelectualidade…

E agradeço minha condição de Vulgaridade…

para não Ser mais Homem Racional…

resta entender-me…

com o que Sou agora…

pois é tão somente o meu Comentário…

abstraído de minha Vulgaridade…

Quero esquecer que Sou Homem…

mas… não Consigo…

.

23 set (1 dia atrás)

Observer = Ell

“Jamais existirá algum LIDER, que não venha ser críticado”

sempre o ser humano busca pelo mais fácil !!!

23 set (1 dia atrás)

fernandoAr

A crítica de modo geral é subjetiva e em muitos casos não faz sentido. A crítica sobre uma proposta em vias de objetivação, construída com conceitos e argumentos, é própria do processo desse modo de conhecimento, avalia as construções, suas relações e os aspectos percebidos e os despercebidos. Neste caso a crítica já está aberta para sua critica.

23 set (1 dia atrás)

edward

.

Caro Miranda

.

Por que você é tão intransigente quando se dispõe a defender uma idéia? Até parece

que você não tem a convicção do que dizes. Teus argumentos têm a lógica necessária

para dar fundamentação às tuas idéias. Mas, daí considerar que elas são o supra-sumo de uma explicação completa e definitiva e esssa ‘defesa’ contra o mal, parece-me

que estás precisando reavaliar teu conceito de crítica e contextualizá-la na realidade

da vida. Sabemos que a teoria sem a prática, é patética e imprópria.

Não podemos pensar somente a partir da teoria, pois a prática também contribui

consideravelmente. A crítica a partir da teoria ou de qualquer sistema filosófico ou de um filósofo determinado; fica fria, sem a emoção em seu contexto, perdendo todo o seu sentido de transformação e, principalmente, o ‘embelezamento’ das idéias, das artes e das literaturas.

O senso comum desmascara a crítica de seu véu nefando de fundamentações

e intencionalidade, para apresentá-la como fuxico, depreciação ao objeto ou pessoa

que esteja em sua ‘alça de mira’. Tanto um como o outro, são idéias-espelhos da mesma origem: a crítica em todas as suas dimensões.

.

..

Miranda

A crítica sempre estará aberta à críticas….

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

Miranda

A crítica sempre estará aberta à críticas….

###

a crítica pode até ser comentada…

ou seja…

as vezes…

a crítica é apenas um comentário para acordar o pensamento…

.

quero dizer que raramente critico…

sou mais de comentar…

um comentário incômodo…

mas…

um impulso no que me reflete a leitura…

.

23 set (1 dia atrás)

@zemuth

.

mas…

como refletir sobre a crítica…

sem a crítica que pode ser expressada… ???

.

o próprio pensar julga…

para poder expressar…

.

23 set (1 dia atrás)

Miranda

Prezado Edward… vejamos…

Você me diz:

Por que você é tão intransigente quando se dispõe a defender uma idéia?

Isso é uma crítica? Segundo a definição daqui do tópico é uma crítica. Então sou obrigado a agradecer, aceitar e achar que estou crescendo com um julgamento que não traz com ele as justificativas que o torna válido.

E por que eu não teria que ser intransigente? Se até aqui nenhum argumento se dispos a descer aos fundamento do que trago para mostrar alguma incoerência, por que eu teria que abrir mão dele?

Eu fui intransigente apenas com uma determinada pessoa, cuja participação fez uma depreciação direta ao que falei, com a frase: “Porque alguem chega aqui e diz que para ser crítica tem que ser fundamentada, todo mundo segue falando essa besteira!” – Essa frase pede intransigência, pois é em sua totalidade falsa e atinge vários membros e não apenas eu e ainda não trouxe qualquer argumento que a justificasse.

De resto, argumentei dentro do respeito daqueles que se dispuseram a dialogar. Veja, fiz o seu trabalho crítico de descer aos fundamentos da minha suposta intransigência. Isso faz com que eu admita que fui intransigente, mas não em todos os tempos e espaços, como a sua suposta crítica quis “determinar” como se fosse verdade.

O que temos aqui então? Temos que você não fez uma crítica. Fez um julgamento generalizado que não se preocupou em ser crítico, ou seja, em decscer aos fundamentos daquilo que estava criticando…

Percebe a importância de se saber o que é ser crítico e o que é crítica para ao menos tentar ser? Volto a perguntar:

– tudo é crítica?

– qualquer atitude é ser crítico?

– a que se destina a crítica?

– qual o fenômeno que dá sentido ao conceito de crítica?

– qual, afinal, o SER da crítica?

Miranda

23 set (1 dia atrás)

edward

.

.

Caríssima Vanessa

.

Tens uma visão dualista de crítica. Você dá os contornos de uma crítica vulgar, simplista e uma outra; a crítica como uma reflexão a partir de uma racionalidade. Mas o ser humano não se diferencia de outros animais por possuir a razão como divisor dessa diferença? Assim, a crítica vulgar , também é racional. E apontar defeitos não é um modo de fazer uma crítica que visa uma transformação ao criticado, como também, é que visa a crítica mais ‘refinada’ e capaz de julgar e fazer uma auto-crítica? A crítica seria absoluta, apenas nivelada pela presença ou não de fundamentações que lhe capacita a examinar, avaliar ou analisar e julgar algo. A crítica não é mais absoluta em relação à outra crítica, pois nessa caso seria uma metacrítica e está não é uma condição de tornar uma crítica mais ou menos, verdadeira.

Parece-me que a crítica pode simples ou complexa, o diferencial está em sua exposição e as fundamentações que as sustentam, pois a intencionalidade é uma condição de sua própria criação..ou não?

.

abc.

..

23 set (1 dia atrás)

Water

Nhem I

Dizer que toda crítica tem um fundamento não significa nada. Pois é… é a “explicitação” do fundamento. .

Dizer que toda crítica tem um fundamento quer dizer que para criticar precisamos de um motivo e de um algo a criticar. Criticamos: Voce é um mala, e explicamos se quisermos explicar.

Minha fundamentação.

Um mala é alguem que enche o saco, não larga o osso, não dá espaço, dá sua opinião logo após cada opinião dada e não permite o manifestar dos outros, cria fakes de sustentação, bajulativos, e etc… Esse é meu conceito pessoal do que é ser um mala numa comunidade legal do orkut e voce preencheu o perfil perfeitamente.

Se for da área do conhecimento, melhor formulada a crítica e fundamentada com argumentos válidos

O que diferencia então uma crítica de um preconceito?

O preconceito é um entendimento anterior ao conhecimento daquilo sobre o que emitimos esse entendimento.

“Eu acho que quem fala demais é mentiroso. ”

É um preconceito, estou generalizando todos por um que eu conheço.

Se eu não ler o que o prolixo escreveu e emitir esse meu entendimento, estou sendo preconceituoso .

O preconceito pode ser esboçado por crítica, por ironia, numa obra de arte, numa poesia, numa peça teatral, numa novela, num comercial televisivo, num out door, e por diversos outros modos. Até em um suposto elogio: “Negros de alma branca”.

O preconceito e a crítica podem ser o mesmo num entendimento e pode não ter nada a ver com a crítica num outro entendimento.

Se não foi justificado não é nada, não dá para saber o que é.

Sua limitação de entendimento não pode ser generalizada, senão vira preconceito, huahuahuahuahuahua.

Se eu disser: Você é chato pra kct.

É uma critica, com fundamento, que eu preferi não fundamentar.

Deu pra entender? Senão, além de chato é ….deixa pra lá!

Não é apenas um xingamento. É um conceito baseado em observação, e que também pode ser entendido como ofensa, caso voce venha a se ofender.

23 set (1 dia atrás)

Water

Por que você é tão intransigente quando se dispõe a defender uma idéia?

Isso é uma crítica? Segundo a definição daqui do tópico é uma crítica. Então sou obrigado a agradecer, aceitar e achar que estou crescendo com um julgamento que não traz com ele as justificativas que o torna válido.

Vejam só! Existem críticas que nem precisam de fundamentação para serem entendidas. Essa é uma, a palavra intransigente já diz a que veio, fundamentá-la é chover no molhado.

Outra:

Voce esta muito gordo.

uma critica estética que não precisa de fundamentação.

Como eu vou saber oq ue voce quis dizer com essa critica se voce não fundamentar?

huahuahuahua, nem precisa.

Voce está muito gordo porque tem um acúmulo de gordura no abdomen, pra que?

A critica é autofundamentativa.

Mais um termo ridículo inventado por mim: autofundamentativa

Seguindo os passos dos brilhantes

huahuahuahuahuahuahua!!!

23 set (1 dia atrás)

edward

.

.

Caro Miranda

.

Parece-me que você não entendeu quando usei o termo ‘intransigente’. Contextualizando-o, refiro-me ao teu posicionamento conceitual de crítica.

E você, nem leu o que postei. Se tivesse feito isso, terias compreendido que

concordo com a crítica fundamentada e que, também, defendo a tese de

que não podemos nos expressar a partir de teorias e menosprezando a

prática. Você se refere à crítica como se fosse um modo único de pensar e

não como a capacita a examinar, avaliar ou analisar e julgar algo.

Crítica e julgamento, análise e avaliação; são sinonímias já que o” termo crítica provém do grego crinein, que significa separar, julgar. É um ato do espírito que preserva o que merece ser afirmado e põe em dúvida a pretensão daquilo que vai além de seu domínio de aplicação e, portanto, não merece ser afirmado. A crítica é um julgamento de mérito: tal julgamento é estético, se contempla uma obra de arte; lógico, se contempla um raciocínio; intelectual, se contempla um conceito, uma teoria ou um experimento; moral, se contempla uma conduta.” [google]

Quando me refiro à crítica fundamentada, estou dizendo que não podemos ficar “inventando” dados ou fatos sobre a coisa a ser julgada. Você entende

como crítica fundamentada, como se fosse um exposição minuciosa, criteriosa,

sem um mínimo de hiatos…isso não é possível! Vai ser uma crítica sempre incompleta,

segundo esse teu crítério de como ver a crítica.

.

..

.

24 set (20 horas atrás)

Miranda

Edward I

Eu entendi sim o que vc quis dizer e concordei com grande parte, mas quis demonstrar a importância da fundamentação excplicitada para caracterizar a crítica. Sem isso, vira coisa vazia como nos exemplificou o outro que acha ainda que crítica é fazer o que ele faz.. Fazer o que? Deixe-o acreditar no que quiser…

Quanto a origem etimológica, respondendo ao Aze eu coloquei exatamente o que você pos e é isso…

Se ficarmos “inventando” dados ou fatos sobre a coisa a ser julgada, mesmo que haja uma caracterização como crítica (pela justificação tentada), seu fundamento se torna inválido, pois não se fundamenta algo pelo que não é e atraves de invenções…

Um exemplo disse é achar que é fundamentação de uma crítica é chamar alguém de mala e definir o que é um mala, sem ter feito a construção de nexo suficiente e necessário entre o que definiu e o julgamento que fez. Isso é sandice ou qualquer coisa, menos uma crítica.

Eu não vou perder tempo de responder a quem não se preocupa em dialogar e estou dialogando com você justamente porque julgo que não seja perda de tempo.

Mas o que é preciso salientar é que o conteúdo de uma crítica é o que a define e não sua forma. Eu não entendo a fundamentação de uma crítica a partir da minúcia ou da quantidade de posts que ela contem. Esse tipo de coisa é da minha personalidade e da forma como me expresso e não tem a ver com o julgamento do conteúdo que exponho.

A crítica expressa um conteúdo que procura descer nos fiundamentos daquilo que pretende ser criticado. Pode ser curta, sucinta e direta, ou pode ser com 10 posts.

..cont..

24 set (20 horas atrás)

Miranda

Edward II

..cont..

E por último, amigo, ela sempre será incompleta, independente da quantidade de palavras que a compor. E para entender isso recorro ao link de Foucault (que acabou confirmando minha tese) que o fulano postou.

Ou seja, a crítica procura a verdade mas não necessariamente a contém, o que entra em consonância com o que você disse: “preserva o que merece ser afirmado e põe em dúvida a pretensão daquilo que vai além de seu domínio de aplicação e, portanto, não merece ser afirmado. ”

Bem, abraços…

Miranda

Flavio Rangel

nao deixa de ser uma verdade aguda para a formaçao de vários silogismos

24 set (19 horas atrás)

Miranda

A inépcia confunde fundamentar com definir a palavra pela qual o criticado foi nomeado. Aff… é muito pra cabeça.

Crítica, além de precisar ter um fundamento, seu fundamento se encontra no nexo construído perspectivamente entre a qualificação dada no julgamento e o que pode ser observado daquilo que está sendo criticado.

Também não adianta ter tudo isso se não for declarado o que justifica a criação desse nexo suficiente e necessário entre uma coisa e outra.

Bem… já está mais do que demonstrado e explícito que nem vale a pena contra-argumentar com quem cai de para-quedas e bate a cabeça no chão rsrsrs

24 set (18 horas atrás)

Vanessa

Caro Edward,

Sim, de fato, concordo contigo quanto a intencionalidade ser

uma condição da própria criação da critica. Mas o que exponho é que

em minha concepção, uma critica que é capaz de sobreviver a outras críticas, só pode haver um fundo de verdade, uma ‘ lógica ‘ que a revista, pois se assim não fosse essa crítica não resistiria ao primeiro ‘ embate ‘e, cairia por terra. O potencial da critica é justamente esse: chegar a verdade sobre algo … através da autocrítica. Não me parece isso que estamos fazendo aqui nesse tópico?

Abs,

06:17 (15 horas atrás)

Water

A inépcia tentou definir o que o brilhantismo PERGUNTOU, e esqueceu.

Water/Silas

Dizer que toda crítica tem um fundamento não significa nada. O que diferencia então uma crítica de um preconceito? Pois é… é a “explicitação” do fundamento. Se não foi justificado não é nada, não dá para saber o que é…

Mas tudo bem, quer continuar xingando e dizendo que é crítica, fique a vontade, guarde os fundamentos para vc e determine o mundo a partir de seu solipsimo característico…

Como disse, para mim, a discussão até acabou. Crítica e qualquer coisa que você fala, sempre será da forma como você quer que seja… Não tem porque discutir… pronto… estamos felizes….

Defini e fundamentei, se tua capacidade de entendimento brilhante não conseguiu alcançar é outro papo! Talvez o brilhantismo excessivo esteja obscurecendo a razão.Agora entendo porque diz que a razão não é uma das faculdades da mente, a sua já não é.

Essa tua Filosofia alucinada é divertidíssima.

06:36 (14 horas atrás)

Water

O que diferencia então uma crítica de um preconceito? (Mala)

Como responder a essa pergunta sem definir, se quem perguntou mostra claramente não saber o significado das palavras preconceito e crítica?

Se voce não enxergasse a discussão como um palco, ela, a discussão, seria mais produtiva.

Uma crítica fundamentada:

A crítica:Tu atrapalhas a discussão.

A critica responde a pergunta “O que ?” e a fundamentação responde a pergunta “por quê?”

A fundamentação:

Por quê tu atrapalhas a discussão?

1. Porque escreve demais de forma desordenada e repete o mesmo reinteradamente.

2. Faz questionamentos que esquece que fez.

3. Está mais interessado em criticar do que entender.

4. Acha que é o suprasumo do conhecimento, mesmo depois de despejar toneladas de incoerências.

5. Não tem compromisso com a coerência.

6. Faz da discussão um campeonato de sabedoria.

7. Falta objetividade, a alucinação toma conta da razão.

Uma fundamentação que pode ser melhor explicada por cada item, a fundamentação da fundamentação, apesar de cada item ser autoexplicativo.

To chateado, não consegui invertar nenhuma palavra ridícula desta vez

.

06:51 (14 horas atrás)

Water

Sobre a crítica “Mala”

Foi um exemplo simples, e voce não conseguiu entender ou não quis, porque tem um conhecimento sobre a critica e a fundamentação que vai inventando a cada post novo, como se só o que voce diz é correto. Gosto de dar exemplos simples porque trabalho com adolescentes e a simplicação facilita o entendimento, é técnica didática.

Mas tu ainda tá no prezinho, desisto, com esse tipo de infantilidade ainda não sei lidar.

06:56 (14 horas atrás)

Water

Não preciso dos tuas respostas, nem das diretas, nem das indiretas, huahuahuahuahua. Como fui citado e CRITICADO, sem fundamentação, huahuahuahua, tento esclarecer o que a má vontade tentou deturpar.

Lê de novo o texto do Foucault, agora prestando atenção.

06:59 (14 horas atrás)

Water

A Linguística tenta, por estudo e pesquisa, englobar todos os termos utilizados na língua com as significações que lhe dão ao longo do tempo. O mala anda na contra-mão da linguística, ele faz o papel inverso, tenta tirar da palavra as significações que já possui e lhe inventando significações que não possui.

A linguística é de suma importância para a filosofia, justamente por esse papel abrangente que facilita o entendimento, assim como a boa vontade é mais importante para a filosofia do que a competitividade alucinada.

As palavras “verdade” e “realidade” são exemplo da importância de se saber com qual significação são utilizadas, porque nem todos, que já escreveram sobre elas, as utilizaram com o mesmo sentido.

08:09 (13 horas atrás)

@zemuth

.

hehehehe…

.

08:26 (12 horas atrás)

Water

* são exemplos.

@zemuth

.

falar de Verdade…

falar de realidade…

realmente a armadilha fica muito mais complicada…

.

quem Realmente Sabe a verdade… ???

quem Realmente Sabe a Realidade… ???

.

Eu…

Sou o Caminho… A Verdade… e a Vida…

.

09:52 (11 horas atrás)

edward

.

………..

……………….

…………………..

Caríssima Vanessa

.

Em absoluto acordo. Você está no campo da metacrítica, coloca em questão a validade de uma crítica enquanto crítica. De fato, se a crítica não for fundamentada suficientemente, não passa de uma simples opinião, simplista, acrítica e generalizada. Parece-me que a crítica não tem essa característica, mas esclarecer uma idéia, refletir acerca dos interesses determinantes do conhecmento, e também sobre a validade do objeto criticado e sua crítica. A crítica visa refletir o objeto e julgar sua validade como objeto criticado e, assim também estimula esses objeto a se reavaliar em

sua existência. A arte, a literatura, o cinema…convivem com a crítica, no sentido de estár sempre em processo de auto-avaliação por conta dessa crítica em sua dialética reconstrutiva. Ambos [crítica e objeto criticado], auto-reavaliam-se no sentido de encontrar uma comunicação que os integrem no contexto de seus fins: a sua verossimelhança à verdade. Interessante essa tua posição em relação à critica.

.

abç.

.

..

10:54 (10 horas atrás)

Flor de Lotus

Sobre a obra de arte se faz críticas, fundamentadas ou não.

Uma obra de arte tb pode fazer uma crítica, a arte crítica, social, mostrando miséria, violência, satirizando, etc…e é uma critica sem fundamentação, apenas demonstrativa.

11:02 (10 horas atrás)

Flor de Lotus

Só para ilustrar

sobre a crítica e seus entendimentos.

Dizem que quando Salvador Dali fez sua primeira exposição em Paris, um crítico de arte temido por uns e odiado por muitos escreveu horrores sobre seu trabalho. Dali, ao ler o jornal na manhã seguinte à vernissage, pegou um táxi e foi visitar a loja de antigüidades do aclamado difamador. Ao chegar diante da vitrine, olhou em torno e viu um pedaço de paralelepípedo… não hesitou, arremessou-o contra o vidro. A polícia francesa foi chamada para resolver a “pendenga” com o espanhol que esbravejava feito louco com o crítico.

Algumas horas depois, Dali era liberado com o argumento de que o acontecido foram só vitrines partidas: a de Dali com a pena envenenada do escritor e a do crítico com uma pedra bem arremessada pelo artista.

11:08 (10 horas atrás)

Mariana

sobre as açõess governamnetais

Assim tenho dois textos um sobre: MST urbano ou Movimento dos Sem-Teto ( voltado a revoltas do sem-teto…). E outro : A revolta dos Estudantes ( revolta dos estudantes, pedem para abaixar o preço da passagem do ônibus).

A pergunta é: Os dois movimentos focalizados são diferentes, mas têm pelo menos um ponto em comum: a pressão para que as ações governamentais sejam direcionadas em favor dos que mais necessitam de apoio no Brasil. O que você pensa sobre esse tipo de pressão? Ela pode ser Eficaz na consecução de determinados objetivos?

Precisooo até hojeee !!!!

11:18 (10 horas atrás)

@zemuth

.

vc quer que alguém realize o trabalho de escola para vc… ???

.

pq vc não abre um tópico para isso… ???

estabelecendo os comentários para o assunto proposto…

.

ou sei lá…

escreva o que vc simplesmente está pensando…

ou…

o que vc julga ser…

.

11:42 (9 horas atrás)

VΔ╙ĐΔ€ľГ ¬¬’

A critica deveria ser até uma correção ou apenas um comentário, mas sempre buscando o despertar para a reflexão buscar o aperfeiçoamento para quem tem a ideia criticada ou até mesmo para o critico.

12:08 (9 horas atrás)

Water

Edward

De fato, se a crítica não for fundamentada suficientemente, não passa de uma simples opinião, simplista, acrítica e generalizada.

Esse seu texto é uma opinião simplista, acritica e generalizada,

ou é uma crítica a crítica não fundamentada?

Temos duas maçãs, e pegamos uma das maçãs e fazemos um suco.

Não é porque transformamos uma maça em suco, que a mação que permaneceu apenas maçã deixou de ser maçã.

Temos uma crítica e sobre a crítica fazemos uma fundamentação, não é porque agora existe a fundamentação da crítica que a critica sem fundamentação deixou de ser critica. Ou porque temos uma crítica elaborada, que as que não são, não sejam mais críticas.

Lembro ainda que a fundamentação não é exclusividade da critica.

Um diagnóstico, uma hipótese, uma teoria, um tratado, qualquer outra coisa, mesmo não sendo critica, pode ser fundamentada. Fundamentar é explicar, dar sentido ao afirmado.

Aliás toda a opinião, mesmo as que não são opiniões em razão do “brilhantismo dos opinadores”, podem ser ou não fundamentadas.

Desculpem-me pela insistência, mas daqui a pouco tudo o que for fundamentado será visto como crítica, dado o andar da carruagem. E aí serão duas confusões linguísticas, a de que a palavra crítica só merece ser utilizada para parecer fundamentado e de que a fundamentação só se dará na existência da crítica.

Nem só a critica pode ser fundamentada e nem toda crítica é fundamentada.

Existem as que são e as que não são. Existem as técnicas e as amadoras, existem as espetaculares e as medíocres, existentes as explêndidas e as podres, as construtivas e as destrutivas, e quantas mais qualificações quizermos lhes dar.

13:11 (8 horas atrás)

Vanessa

Caro Edward,

Apenas uma opinião minha em relação a crítica. Preciso, antes afirmar que estou disposta a abandonar minha idéia com prazer se algum outro for capaz de me convencer de outra idéia melhor …

Abs filósofo ! rs

13:23 (8 horas atrás)

@zemuth

.

Uma das atitudes mais comuns da humanidade, a crítica oculta sempre a premissa,

por parte de seu formulador, de que sua posição é a correta e nenhuma outra

levará ao melhor resultado.

edward

.

Water

Edward

De fato, se a crítica não for fundamentada suficientemente, não passa de uma simples opinião, simplista, acrítica e generalizada.

Esse seu texto é uma opinião simplista, acritica e generalizada,

ou é uma crítica a crítica não fundamentada?

.

Caro Water

.

Vejo a fundamentação de uma crítica através de seus dados e fatos a

serem analisados ou julgados. Quando me refiro à opinião, estou colocando

essa opinião sem informações suficiente ou informações não reais sobre o

fato ou objeto criticado. Parece-me que se fizermos uma crítica sobre uma obra de arte, desconhecendo o seu autor, escola a que pertence, leituras sobre arte…coisa boa não conseguiremos. Chamo esses dados de fundamentação para se elaborar um crítica. Seus fundamentos teóricos já são de conhecmento de quem se propõe a fazer uma crítica literária, política, filosófica…etc. E até onde sei, a crítica à crítica

é metacrítica. Não acredito na crítica à crítica não-fundamentada. A crítica por si só, já é crítica.

.

abç.

.

..

17:02 (4 horas atrás)

§*Cαroline

Como qualquer debate, discussão, diálogo ou coisa do genero, a crítica deve ser embasada e com argumentos sólidos, críticas vazias não servem pra nada, o objetivo de uma crítica é proporcionar novas visões e considerações que a pessoa não tinha anteriormente, ajudando assim a pessoa a crescer, portanto se não tem o que criticar, não critique!

17:25 (3½ horas atrás)

Water

Eu tb não acredito Edward, mas respeito a significação da palavra “crítica” para tudo o quanto ela abrange, e foi esse o ponto de discordância. As vezes tenho a impressão que só há postagens e não leituras. Se houvesse a leitura a resposta não poderia ser essa, tão disparatante.

Como disse a Carolina a crítica não serve para nada, mas ela continua a denominá-la de crítica.

Então o que temos é criticas que não servem para nada e criticas que servem para alguma coisa, essas de que voce tratou são as que servem para alguma coisa, as criticas filosoficas, cientificas, artísticas, etc… e as que voce nem deseja chamar de crítica são as que não servem para nada.

Consegui inventar mais uma palavra rídicula:disparatante.

Se voces estão certos em relação ao que dizem da palavra “crítica”, então sugiro que se mudem os dicionários, textos, porque o que tem de gente utilizando a palavra crítica diferente disso que trazem é algo aterrorizante!

Abaixo o Houaiss, o Aurélio, e todos os dicionários burros desse país e dos de língua portuguesa, que denominam uma palavra de forma tão indevida.

Vamos fazer uma crítica desses dicionários, fundamentando nessa significação errada que usam para a palavra “CRÍTICA”. Espero que vala para alguma coisa!

.

17:44 (3½ horas atrás)

Water

Edward

A crítica esboçada numa obra de arte é fundamentada?

Voce só considera como crítica as escritas?

Se eu fizer greve de fome porque quero que acabem com a corrupção, estou criticando?

O Green Peace quando faz manifestações, como se colocar nu dentro de um saco plástico como se fossem pedaços de carne no supermercado, estão fazendo algum tipo de crítica, ou não?

A crítica pode até ser muda.

Uma imagem apenas.

17:45 (3½ horas atrás)

§*Cαroline

Water

É Caroline.

É, as críticas que eu disse ser construtivas são as que você citou ai.

As que não servem pra nada, são as que eu chamo de violência verbal gratuita ou defecação pela boca, como preferir denomina-las, eu as chamo assim.

17:49 (3½ horas atrás)

Water

Entendi Caroline e concordo em relação a validade da crítica, sua efetividade.

Mas é que dizem que critica é só a bem fundamentada.

não é, qualquer crítica é crítica, até as vazias que não servem para nada.

E existem críticas, sem a fundamentação, como disseram, e eficazes, como esses protestos do green peace, todos entendem a que se referem e o que criticam.

Abraço, preciso sair!

17:59 (3 horas atrás)

§*Cαroline

É Water…

Crítica é sempre crítica, até quando não é fundamentada.

18:08 (3 horas atrás)

edward

.

.

Caro Water

.

Essa de crítica velada, mascarada, muda, escrita, pensada…uma foto, uma pintura, um poema, uma música…um sorriso, um gestual…são as diversidades moduais [ de modo!…rss] de críticas. Gostaria de saber é como ficam as várias críticas de especialistas de arte que ocorreu nos EUA, quando depois de anos foi descoberto que a pintura em questão, estava de ponta-cabeça!!!

Essas críticas abalizadas ainda pode ser considerar como uma crítica ou perdeu o seu sentido, pois foi fundamentada em algo irreal, falso.

.

abç.

.

..

18:22 (3 horas atrás)

Water

Uma critica equivocada, mas houve a critica do quadro de ponta cabeça, de qualquer modo sobre algo visto.

Sim perde o sentido, mas não a denominação de crítica.

Se a crítica fosse favorável ao quadro de ponta cabeça, talvez nem tivessem desvirado, huahuahuahua, e não só os críticos erraram, quem pendurou o quadro tb!

20:50 (34 minutos atrás)

@zemuth

.

Os que se acham perfeitos estariam no direito de criticar tudo aquilo que não está

em consonância com o seu modelo de mundo real.

@zemuth

Claro que…

.

Há, porém, os que buscam a perfeição de maneira saudável, sem o perfeccionismo

obsessivo.

Estes são conscientes de si mesmos e de suas limitações, aprendem com suas imperfeições, aceitam e apreciam a orientação de outras pessoas.

.

21:19 (5 minutos atrás)

@zemuth

.

Existe, porém, o problema sobre a compreensão do que é ser crítico.

Por outras palavras, há muita arbitrariedade no uso da palavra crítica, desde o julgamento popular de uma “situação crítica” até a conceituação originada na filosofia de: “espírito crítico”, “pensamento crítico”, etc.

What's Your Reaction?

Angry Angry
0
Angry
Fail Fail
0
Fail
Geeky Geeky
0
Geeky
Lol Lol
0
Lol
Love Love
0
Love
OMG OMG
0
OMG
Scary Scary
0
Scary
Win Win
0
Win
WTF WTF
0
WTF
Patrick Wilson
Patrick Wilson tem 33 anos, é Professor de Ciências Tecnológicas na PUC /SP. Fascinado por tecnologia, futebol e tudo o que acontece no dia-a-dia e que valha ser compartilhado na Web.

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Filosofia – Armadilha das Criticas

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format