Explicações sobre os Grandes Acontecimentos da Serie Lost para quem fez o Download o Ultimo Episódio não Entendeu o Final


Lost terminou após 6 temporadas ou 6 anos, como preferirem.  Serie que começou com inúmeras questões terminou com tantas outras. Muitos fãs ficaram indignados, sem entender quase nada, outros tentaram se conformar dizendo que foi um final bom, mas também não obtiveram suas respostas.

Porém para mim o último capítulo não apenas trouxe respostas, mas confirmou o que era óbvio para alguns: todos os integrantes do Oceanic 815 estavam mortos. Ninguém sobreviveu a queda retratada logo no primeiro episodio.

É compreensível que muitos tenham esperado respostas diferentes para as questões, mas se em todo o tempo os capítulos mostraram situações carregadas de misticismos, dúvidas e medos, como poderia terminar de forma diferente?

Lost tentou retratar a vida espiritual e não a nossa vida conhecida aqui no planeta Terra. Porém como para a maioria espiritualidade é um assunto pouco conhecido, ficaram indignados com o desfecho.

Antes de tecer o meu ponto de vista e entendimento sobre a serie, vou explanar um pouco sobre o que significam essas lacunas que muitos acreditam existir. Afinal, como já afirmei, Lost buscou retratar a jornada espiritual e não a realidade que conhecemos no planeta, logo ter as respostas de acordo com o que estamos acostumados não seria nada coerente.

Alguns perguntam: E os números, o que significam? E eu digo: alguém já parou para raciocinar que os números era algo que estava somente na mente de Hurley? Fazia parte da vida dele, e enquanto ele esteve num hospício é que os conheceu. Logo tê-los encontrado na “ilha” não signifique que fazia parte da realidade dos demais e sim somente da dele, que poderia ser apenas “loucura” ou simplesmente irrelevante para a questão principal: O que era a Ilha.

A Ilha era um local semelhante ao que os espiritualistas chamam de umbral. Local aonde os espíritos confusos, doentes e perdidos vão após desencarnarem (ou deixar o mundo físico). Um local onde aqueles que não entenderam ainda sua condição de, hum… Morto?, e que estejam carregados de problemas emocionais, ficam até serem ajudados por espíritos superiores (por certo Jacob era um deles). E exatamente como defendem os espíritas, espiritualistas e os que estudam a Conscienciologia, muitos espíritos no umbral permanecem inconscientes quanto a sua condição de desencarne, ou seja, não sabem que deixaram o plano físico. Leva tempo até que compreendam a ajuda superior. Enquanto isso são guiados sem que entendam o que está acontecendo. Nesse aspecto podemos até fazer um paralelo com nossas vidas aqui na Terra, quando (para aquele que tem fé em algo) somos intuídos por alguma coisa, e tomamos decisões que acreditamos não ter vindo de nós.

Vejamos os personagens de Lost, todos em vida (antes da queda do avião) tinham sérios problemas familiares e consigo próprios, fatos que os levaram a tomarem decisões horríveis.

Analisemos alguns deles:

Jack nunca se deu bem com seu pai (inclusive arruinou sua carreira), teve um casamento desfeito do qual nunca se recuperou, tornou-se viciado. Jamais foi feliz e jamais se perdoou por ser como era.


Kate quis fazer justiça com as próprias mãos por não aceitar a vida que tinha e muito menos a de sua mãe. As consequências foram ainda piores, como causar a morte do homem que ela amava.


James “Sawyer” Ford após um trauma de infância (e que trauma) – onde assistiu seu pai assassinar sua mãe e se suicidar em seguida – criou dentro de si um ódio sem tamanho. Cresceu com um objetivo pulsante dentro de si: Matar o homem que causara a desgraça de sua família. O homem que usava o nome que ele, James, passou a usar “Sawyer”. Além do desejo de vingança, colecionou erros ao aplicar golpes de estelionato e cometer assassinato.

Hurley, aparentemente não tinha nenhum “crime” ou pecado mais grave, mas era desiquilibrado, não conseguindo ter nenhuma motivação para sua vida, nem mesmo quando ganhou na loteria. Simplesmente acreditava que era azarado e deixava com que todas as coisas dessem erradas ao seu redor. Seu principal problema, como o dos demais, era não fazer nada de aproveitável com sua vida.

Sayid era um torturador que causara dor e angústia a diversas pessoas. Embora tivesse dentro de si um desejo de não fazer coisas ruins, as fazia. Tornou-se um zumbi emocional.


Charlie era um viciado em heroína, desgostoso com a vida. Havia tentando melhorar, mas acabara se entregando completamente ao vício. Até mesmo no avião, pouco tempo antes da queda, estava no banheiro se drogando.


Mr. Eko era um traficante que desde criança fora recrutado para o mundo do crime. Matara diversas pessoas e por fim ficou no lugar de seu irmão, vivendo alguns anos como padre. Embora tenha tentado melhorar ainda em vida, mas seus débitos permaneciam e morreu carregado de culpa pela morte de seu irmão.

Locke tinha muitas intuições boas, intuições que poderia tê-lo levado a um bom caminho, porem acabou preso ao ódio por seu pai que roubara seu rim e ainda causara o acidente que o deixou paralítico. O ódio moldou sua personalidade e o fez viver em torno deste sentimento.

Podemos citar ainda, Ana Lucia, uma policial assassina e perturbada.

Jim, que por amor a uma mulher, sujeitou-se a fazer todo o mal que seu sogro lhe pedia.

Sun, mesmo sendo casada e tendo atenção de um marido dedicado, não hesitou em se envolver com outro homem, fato que causou a desgraça deste mesmo homem.

Claire uma moça desajustada com a vida devido a não atenção de seu pai e piorando com um relacionamento desfeito, não se importou com o que poderia ocorrer com seu filho, cujo entregaria para estranhos em troca de dinheiro.

Enfim, há mais personagens, mas em todos encontraremos vidas desajustadas. O próprio Jacob cita isso na temporada final, dizendo que os tinha escolhido como “candidatos” porque nenhum deles tinha uma vida boa.

Alguém perguntará sobre a questão de “protegerem a ilha”, apertarem o botão da escotilha e de toda aquela “realidade” lá existente. E como resposta eu deixo a reflexão: “Só podemos saber aquilo que podemos saber”. Ilógico? Não, é óbvio! “Só podemos saber daquilo que temos capacidade de saber naquele dado momento”. O que quero dizer é: como Jacob explicaria a eles que estavam mortos sem causar um trauma ainda maior do que eles mesmos tinham causado às suas péssimas existência terrenas? Na visão espiritualista o inferno não é como a maioria acredita, o inferno é uma condição de espírito, ou seja, o que fizer de ruim aqui, carregará consigo para o plano espiritual até que esteja pronto para se livrar daquilo. E isso é através de ajuda superior. Logo, o tempo que passaram na ilha foi justamente para que acordassem, para que fossem se dando conta das suas mazelas e quisessem melhorar. Percebam que todos os personagens foram melhorando enquanto passavam pelas “provas” na ilha. Todos foram encontrando dentro de si o lado bom e sincero. Foram tendo oportunidade de se redimirem, de ajudar uns aos outros, de viverem em sociedade. Até o Benjamin que só prejudicou os personagens mais queridinhos, no final se redimiu. No final, acordou!

Jack era o mais cético de todos, e não estranhamente, que ele foi o último a se juntar com os demais.  Ele não salvou a ilha, ele simplesmente enfrentou uma situação onde conseguiu acreditar em si mesmo, e se doou em pró dos demais, ou seja, foi a sua última prova. Foi a retirada da rebarba que faltava.

Não vou discorrer sobre cada problema que cada personagem tinha consigo mesmo e precisava resolver, mas vale o leitor analisar a cada um e enxergar a atuação desses personagens como um todo. Perceber que cada um resolveu seus problemas espirituais ou psicológicos, como preferirem (embora não seja a mesma coisa).

Temos que considerar ainda, sobre o Jacob, que embora ele fosse uma personalidade superior, ele não sabia de tudo, por isso explicou somente até onde conhecia. A proteção da ilha. Que na realidade não era nenhuma proteção e sim uma prova.

Percebamos que desde o início até o final, Lost foi trazendo respostas aos seus personagens de forma progressiva. Mas as respostas que eles foram obtendo não eram exatamente as respostas que eles estavam interessados, por isso ficaram despercebidos por todo aquele tempo. Da mesma forma acontece com os fãs que não compreenderam o final da serie. Pois esses fãs só se preocuparam com uma coisa desde o início: O que era a Ilha, seus mistérios e como sair dela. Poucos questionaram: “por que eles estavam na ilha?”.

No entanto o objetivo deles estarem na Ilha era para que pudessem compreender os erros que fizeram em vida, como já afirmei. Livrassem-se de seus traumas, se tornassem melhores, para que aí sim, saíssem da ilha. E essa saída era indo para um plano superior ou reencarnando.

Em muitos pontos há dicas e menções sobre espiritualidade. Como o Desmond dizer: “te vejo em outra vida, irmão”; ou quando o Eko começa a se comunicar com irmão dele. O Hurley se comunicando com pessoas “mortas”, que já haviam deixado a ilha. Ou ainda, quando o pai de Locke, preste a ser “morto” por Sawyer” diz que ele havia morrido num acidente de carro. Vale lembrar ainda que Anthony, o pai de Locke aparece na outra realidade (aquela que eles estão fora da ilha) numa cadeira de rodas, em estado vegetativo, ou seja, o seu débito era grande, e com isso foi para outro plano, mas doente e estava numa clinica (espiritual…).



A história de Eko mesmo traz uma dica muito forte sobre isso. Pois assim que ele conversa com seu irmão e se liberta da culpa de tê-lo levado a morrer, Eko também “morre”, ou seja, sai da ilha.

Em outros personagens também podemos ver isso, como no Boo e na Shanon. No momento em que Boo consegue superar o amor doentio que sentia por Shanon, ele também parte. O mesmo se dá com ela.

Ana Lucia, novamente, podemos observar que quando ela começa a se dar conta de seus erros, e tenta melhorar, logo “sai” da ilha.

Pouco diferente é o que ocorre com o Paulo e sua namorada, que ao invés de buscarem a melhora, acabam se digladiando por causa de interesses completamente materiais, ou seja, estavam ligados mais que todos à sua vida terrena. E a “saída” deles da ilha em nenhum momento caracterizou como ida para um plano melhor, mas por certo para áreas espirituais ainda piores.

Sei que por mais que escrever eu não darei respostas satisfatórias a todos e nem pode ser assim, pois o propósito de Lost também foi esse: não trazer respostas, mas trazer alguma luz sobre o que acontece quando morremos. Dar respostas definidas mistificaria e criaria “religião”.

Jogarei mais luz sobre alguns pontos. Por exemplo, e Benjamin Linus? E todo o seu povo? Quem eles eram? Simples, pessoas que já estavam no umbral havia mais tempo e mesmo já estando há algum tempo, não conseguiam entender todo aquele fato. Simplificando: eles também estavam mortos.

A história de Richard Alpert dá uma clara visão sobre a condição deles na ilha. Ele foi condenado a morte, e não pegou nenhum navio para trabalhar, simplesmente foi morto. Após ficar dias preso no navio, Richard viu sua esposa já falecida e depois teve um encontro com a Fumaça Negra, que nada mais era que o espírito mais perturbado e doente que estava na Ilha.

A luz brilhante por certo era a passagem para outro plano mais elevado.

A questão das realidades alternadas entre a ilha e a vida onde o acidente não aconteceu. Ali entendo que foi quando eles deixaram o umbral, e estavam num plano melhor, no entanto ainda não estavam prontos para compreenderem suas condições. Tiveram então uma vida espiritual onde puderam por em prática aquilo que tinham aprendido enquanto estavam na ilha. Observem que suas novas vidas foi toda envolvida com os demais que estavam na ilha.

No final, os personagens principais se encontram numa igreja.  Coincidência? Mera escolha de local? Obviamente que não, o local tem todo um contexto espiritual envolvido… Afinal é um templo religioso.

Tudo o que escrevi pode ser uma grande bobagem para alguns, assim como ter sentido para outros. E talvez seja este mesmo o objetivo dos criadores de Lost, permitir que a serie gere diversas teorias, que faça as pessoas pensarem e não ser apenas mais uma bobagem que acostumamos ver, onde tudo acaba com “…e viveram felizes para sempre…”.

Leia Também:

http://tv.globo.com/ENT/Tv/Seriados/Lost/0,,AA1267032-6258,00.html

http://rraurl.com/forum/lofiversion/index.php/t30873.html

http://forums.tibiabr.com/showthread.php?t=93443

What's Your Reaction?

Angry Angry
0
Angry
Fail Fail
0
Fail
Geeky Geeky
0
Geeky
Lol Lol
0
Lol
Love Love
0
Love
OMG OMG
0
OMG
Scary Scary
0
Scary
Win Win
0
Win
WTF WTF
0
WTF
Patrick Wilson
Patrick Wilson tem 33 anos, é Professor de Ciências Tecnológicas na PUC /SP. Fascinado por tecnologia, futebol e tudo o que acontece no dia-a-dia e que valha ser compartilhado na Web.

Comments 10

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Tudo muito bom e tal, só que um detalhe, eles não estavam mortos (ISSO ESTÁ CONFIRMADO), tudo que aconteceu foi real, e os que não morreram até o último segundo do caítulo final (como por exemplo o Jack), morreram muito depois, como explicado pelo próprio Sr. Shepard no final.

  2. E de qual realidade estamos falando, Arthur?
    Por que quando falamos de continuidade após a morte do corpo físico, nos referimos como não sendo real?
    O pai de Jack disse que foi real, mas quem acredita na continuidade da vida, não vê isso como sonho e sim como realidade.

  3. o pai de jack diz algo interessante: eu sou real, você é real, tudo o que você viveu é real, no final a pergunta seria, real em que plano?

  4. Cara faça-me o favor!! sua explicação tem mais furos que a drama original de lost! vc é amigo dos diretores de lost?

    E ai vem com essa coisa de: “…pra quem não entendeu o final” você é um deles!!!

    othonmoraes.com

  5. Foi exatamanete o que eu extraí da série.

    Só não entendo muito bem o papel de Eloise Hawking…

    No meu entendimento, qdo os 6 saem da ilha pela primeira vez, todos tem que voltar pq nao estao prontos para entender que estao mortos. Entao Eloise os manda de volta.
    Para mim, ela era um dos seres superiores que ajudavam, e nao dos que atrapalhavam, eauheaueha

    Tem alguma teoria, brotha?

  6. ta muito furado mesmo isso, kkkk… se eles tavam mortos como voltaram a los angeles e fikaram famosos e tudo mais?? e o pessoal ki entrava e saia da ilha: walt, michael??? EXISTEM REFERENCIAS ESPIRITAS E CIENTÍFICAS, MAS RESPOSTAS NEM PENSAR!

  7. eles estão todos vivos até a bomba que juliet explode! eles só estão mortos na sexta temporada qnd mostra o mundo paralelo! e o pai de JACK deixa bem claro mesmo dizendo que tudo foi real. achei LOST muito foda apesar do final, mesmo sem explicação pros números e tals, pq não é só o hurley que vê os números, pois eles digitam os números no computador da dharma, então os números realmente existem! e é verdade, qnd diz que michael e walt saem da ilha e voltam, assim como ben tmb faz isso! então LOST não é realmente pra se entender e sim pra sentir, sentir cada personagem, sentir a história e sentir que existe um plano maior pra nós após a morte, um plano maior do que simplesmente o planeta TERRA!

Explicações sobre os Grandes Acontecimentos da Serie Lost para quem fez o Download o Ultimo Episódio não Entendeu o Final

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format