Corpo de Wellington, o atirador do Rio, causador do massacre do Realengo ainda não foi reconhecido. Permanece no IML

0
2.291 visitas

Três dias após o massacre no Rio, em Realengo, o corpo de Wellington Menezes de Oliveira, 23, continua no IML (Instituto Médico Legal) Afrânio Peixoto, aguardando ser reconhecido. Caso nenhum familiar vá retirar o corpo até o dia 23 de abril, ele será sepultado como indigente em Santa Cruz, outro bairro da zona oeste da cidade.

Wellington foi adotado quando era bebê. A casa onde morou com a família em Realengo está abandonada, e a irmã adotiva não foi encontrada. Vizinhos afirmam que ela seguiu para Brasília.

Em setembro passado a mãe adotiva faleceu, o que fez com que ele fosse residir numa casa em Sepetiba, também na zona oeste.

Na carta deixada por ele, pede para ser enterrado junto com a mãe, além de indicar uma série de procedimentos para manipular seu corpo.

Wellington entrou atirando numa escola no Rio de Janeiro, assassinando diversos alunos e alunas.

Um caso que chocou o país todo e até a presidente Dilma se emocionou.

Por certo, o atirador tinha problemas psicológicos seriíssimos. Fato que ocorre com muitas pessoas sem que a família tome conhecimento.

Foram mortos por Wellington Menezes de Oliveira os seguintes adolescentes:

  • Ana Carolina Pacheco da Silva, 13
  • Bianca Rocha Tavares, 13
  • Géssica Guedes Pereira, 15
  • Karine Lorraine Chagas de Oliveira, 14
  • Larissa dos Santos Atanázio, 14
  • Mariana Rocha de Souza, 12 anos
  • Milena dos Santos Nascimento, 14
  • Samira Pires Ribeiro, 13
  • Luiza Paula da Silveira, 14
  • Laryssa Silva Martins, 13,
  • Rafael Pereira da Silva, 14,
  • Igor Moraes, 13.

 

Segundo Video, essas babáries são causadas por disturbios psicológicos, mas podem ser problemas espirituais… quem sabe…

veja outro video com imagens reais do momento em que crianças fogem do atirador dentro da escola

Fotos das Vítimas do Massacre do Realengo no Rio

Artigos Relacionados:

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar!
Digite seu nome!